Gn 37: 23, 24

O verbo perdoar vem do latim “perdonare” e significa, entre outros, desculpar, absolver. (ref. Dicionário Aurélio).

Penso que muita gente já tenha lido essa passagem, ou até mesmo escutado a respeito da história de José, que foi jogado numa cova por seus próprios irmãos e logo em seguida vendido para ser escravo no Egito, tudo por conta de seus sonhos, que geraram grande zombaria contra José, e até mesmo pela inveja. (O diabo sempre vai tentar matar nossos sonhos)

Imagine a cabeça de José (com 17 anos), sendo jogado em uma cova e vendido para ser escravo, pelos próprios IRMÃOS. Não foram desconhecidos, não foram vizinhos, não foram primos distantes, foram os IRMÃOS dele quem fizeram isso. E é assim que o diabo age conosco, ele procura ‘usar’ as pessoas que estão próximas a nós para nos ferir, nos agredir, ou você acha que ela vai ‘usar’ aquele seu vizinho de cara fechada que briga com todo mundo? Não amados, o diabo é astuto e vai ‘usar’ quem você ama para te desestruturar, para ‘pisar no seu calo’, para dizer palavras duras.

Tenha isso em mente: Perdoar não é dom, perdoar é atitude.

O título da mensagem “A arte de perdoar”, é por que perdoar virou coisa rara, virou arte. Ou vai me dizer que nunca ouviu:

__ Eu perdoei, mas não quero nem conversa, fulano para lá e eu para cá.

Isso não é perdoar, o perdão é uma atitude de amor que vem do coração e é externada com um sentimento de esquecimento do que nos foi feito, o perdão verdadeiro não fica remoendo dentro de nós, não é aquela coisa que no primeiro sinal de alerta vem à tona.

No capítulo 45-4 e 5 José já estava no trono de Governador do Egito, então se revela como aquele que foi vendido e pede para que não caia o semblante dos irmãos, já que havia um propósito de Deus em cada circunstância. Mas não creia que tenha sido fácil para José, ele tinha poder em suas mãos o suficiente para fazer o que bem quisesse com seus irmãos, mas havia a necessidade do PERDÃO para que os planos de Deus fossem revelados. Está aqui o por que da necessidade de se perdoar, pois a falta de perdão gera uma barreira muito grande entre nós e Deus, pois como podemos orar pedindo o perdão a Deus por nossas transgressões, se nós não temos isso em nosso coração?

“Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.” (Marcos 11: 26)

No capítulo 18 de Mateus, Jesus nos conta a história de um servo que devia muito ao seu rei, e esse mandou que fosse vendido tudo em sua casa, mas o servo pediu-lhe generosidade (perdão) para com ele, o rei foi movido pela compaixão e o perdoou, porém ao sair, esse servo encontrou um de seus conservos que lhe devia uma quantia muito menor a que o servo devia ao rei, mas o servo não quis perdoá-lo, vendo isso, os assistentes do rei levaram o fato até ele, que mandou que o servo fosse atormentado até que fosse pago a dívida. Jesus termina o capítulo dizendo que assim também se fará a quem não perdoar as ofensas de cada irmão. Pesado né? Então vamos refletir povo de Deus. Aliás, vamos TOMAR ESSA DECISÃO.

A falta de perdão causa um ‘câncer’ dentro da igreja, deixa-a manca, sem UNIDADE (Sl 133:1) , ou seja, fora dos propósitos de Deus.

Bom, chamo a você que lê essa mensagem para essa mudança de atitude em relação ao coraçãozinho endurecido, vamos nos tornar ARTISTAS dessa ‘arte’ nada abstrata e tão bonita?

Walter José de Oliveira