Jn 1:3 – Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do SENHOR para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do SENHOR.

Mal humorado, sério, irritado, porém extremamente patriota, filho de Amitai, do povoado de Gate hefer, um Galileu, esse era Jonas. Profeta que profetizou durante o reinado de Jeroboão II.

O nome Jonas significa pombo, e assim como Noé que soltou um pombo para receber uma boa mensagem (de que as águas haviam recuado e já existiam terras secas), Deus imperou para que Jonas levasse uma boa mensagem à Nínive, capital dos Assírios, (mensagem de arrependimento e misericórdia), cidade de 120 mil pessoas, fundada por Assur, descendente de Cão, um dos filhos de Noé, às margens do Rio Tigre.

Quando digo que Deus imperou a Jonas, é porque o chamado começa de forma imperativa: LEVANTA-TE. Mas Jonas resolve fugir de Deus, fugir do seu chamado, esse ‘pombinho’ resolve voar, ou melhor, navegar para outras terras.

Saiba amados que ministrei essa mensagem no mês passado em uma igreja maravilhosa, e quando estava recebendo a mensagem do Espírito Santo, vi que Deus queria falar muito comigo, tenho certeza que Deus já está falando contigo de alguma forma.

Jonas intentou ir até Társis, o orgulho e de certa forma o medo falavam alto, por levar uma mensagem de arrependimento a um povo tão opressor, marcados pela brutalidade com qual tratavam seus inimigos, e durante os tempos, o povo Israelita era o outro lado da história, ou seja, a nação saqueada e oprimida.

Jonas tentou o impossível, fugir de Deus, de um Deus onipotente, onipresente, onisciente, um Deus que mediu os mares em suas mãos (ref. Is 40:12).

Deus envia uma tempestade e faz a embarcação se debater nas águas turbulentas; pertences são jogados ao mar, preces à deuses são oferecidas, mas quem tem o poder de acalmar as águas é o Deus supremo, único e verdadeiro, e quando Jonas é lançado ao mar, as águas se acalmam. No mar, Jonas é tragado por um grande peixe, e no ventre Jonas se arrepende e ora. Faz uma oração de reconhecimento à plenitude de Deus e arrependimento por FUGIR DE DEUS.

Podemos tipificar esse momento como os momentos de tribulação que muitas vezes passamos, mas quando enfrentamos a prova com fé, perseverança, arrependimento e oração, Deus sempre nos ouve. Deus se agradou, e fez com que o grande peixe vomitasse Jonas, e ali Deus diz novamente a Jonas: LEVANTA-TE, a segunda chance. Talvez Deus esteja falando isso contigo mais uma vez, LEVANTA-TE, pode não ser a segunda, talvez você tenha perdido as contas de quantas vezes ouviu Deus falando isso contigo, mas também pode ser a última, então amados, LEVANTEMO-NOS.

Então Jonas apregoa a Palavra de Deus naquele lugar com ousadia, e essa Palavra chega até o Rei que ordena uma purificação em massa para que não pereça o povo. Aprendemos aqui que o amor de Deus é extensivo independente do que tenha ocorrido no passado, mas que o arrependimento e o reconhecimento ao Nome de Deus trazem misericórdia (TODOS PRECISAM DE DEUS). (Rm 8:1).

Psiu…

Ei…

Viu-se como Jonas? Fugindo do chamando que Deus fez a ti? Se escondendo no convés do navio? Deixando seu Ministério morrer? Deixando o próximo perecer?

Não espere o mar se levantar, não espere ser tragado por um peixe, NÃO FUJA DE DEUS.

Tome toda a armadura de Deus: Cingindo os lombos com a Verdade, vestindo a couraça da Justiça, calçado com a preparação do evangelho da Paz, tomando o escudo da fé e o capacete da salvação, e empunhe a espada chamada Palavra de Deus, orando ao Pai e vigiando (Ref. Ef 6:11-18), estando assim, CAMINHE!

Esteja preparado, para quando ouvirdes: A quem enviarei? Você possa responder com diligência: Eis me aqui, envia-me a mim. (Ref. Is 6:8)

Então amados, vamos nos apresentar?

Waltinho Oliveira


Anúncios